Enquanto o pertuzumab demonstrou benefício no tratamento neoadjuvante do câncer da mama HER2 positivo,seu papel no tratamento adjuvante está sendo estudado no momento.Em um estudo fase III,o APHINITY,mais de 4.800 pacientes com câncer da mama HER2 positivo tratadas com quimioterapia antineoplásica e trastuzumab foram randomizadas para tratamento concomitante com o pertuzumab versus placebo.Num período de acompanhamento de cerca de 45 meses,as pacientes tratadas com o pertuzumab apresentaram uma taxa mais elevada de sobrevida livre de doença invasiva a três anos(94% versus 93%),com um benefício ainda maior observado dentre aquelas com metástase linfonodal para axila ipsilateral.Baseando-se nesses dados,é sugerido a adição do pertuzumab no tratamento adjuvante de pacientes com câncer da mama HER2 positivo e axila positiva.Entretando,podemos escolher em não usar o pertuzumab devido a toxicidade acrescida pelo droga à associação da QT e do trastuzumab e ainda pela falta de demonstração de benefício na sobrevida global.