A trabectedina é um agente ativo no sarcoma de partes moles avançado,particularmente no leiomiossarcoma e lipossarcoma.Um estudo multicêntrico fase III realizado nos Estados Unidos comparou a trabectedina a dacarbazina em 518 pacientes com leiomiossarcoma ou lipossarcoma avançado previamente tratados com quimioterapia convencional.A trabectedina foi associada a uma sobrevida livre de progressão significativamente mais longa(4,2 meses versus 1,5 meses)e uma taxa de benefício clínico mais elevada(refletindo tanto resposta objetiva quanto duração da estabilização da doença).O benefício foi observado tanto no leiomiossarcoma uterino quanto no não uterino e em todos os subtipos de lipossarcomas,embora o benefício tenha sido maior nos subtipos mixoide e de células arredondadas.O efeito tóxico mais sério foi a neutropenia,trombocitopenia,anemia e elevação transitória das transaminases.Baseando-se nestes resultados a trabectedina foi aprovada nos Estados Unidos no tratamento de pacientes portadores de lipossarcoma ou leiomiossarcoma irressecável ou metastático que já tenham sido tratados com associações contendo antracíclicos.Na Europa já havia sido aprovado em 2007.