O papel dos inibidores da PARP no câncer da mama metastático tem sido bastante estudado.Em um estudo faze III randomizado,o OlympiAD,mais de 300 pacientes com câncer da mama metastático HER2 negativo e com mutação associado ao BRCA e com doença em progressão apesar do tratamento quimioterápico antineoplásico,foram randomizadas em dois grupos,o grupo 1 fez uso do Olaparib e o grupo 2 fez uso de placebo.A sobrevida livre de progressão foi mais longa no grupo que fez uso do Olaparib(7,0 versus 4,2 meses),com pouca toxicidade.Os dados sobre sobrevida global ainda não estão suficientemente maduros para serem publicados.