Olaparibe como monoterapia de mulheres portadora de carcinoma epitelial do ovário resistente a um sal de platina previamente tratadas

As mulheres portadoras de carcinoma do ovário que progridem no espação de seis meses de um tratamento com um sal de platina são consideradas como portadoras de câncer resistente a platina.Estas paciente têm limitadas opções terapêuticas e são muitas vezes tratadas com monoterapia.Para um subgrupo destas mulheres cujos tumores possuam mutação do BRCA,o olaparibe foi recentemente aprovado pelo FDA(Food and Drug Administration).Esta aprovação foi baseada em um estudo fase II com cerca de 300 pacientes com câncer epitelial do ovário com mutação do BRCA tratados com o olaparibe com encorajadores resultados clínicos.Outros estudos estão em andamento para definir o papel do olaparibe em mulheres com câncer epitelial do ovário associado a mutação do BRCA.

2017-01-31T16:02:20+00:00

Deixar Um Comentário