Drogas inibidoras tanto do gene BRAF quanto do gene MEK mutados possuem atividade clínica significativa em pacientes com melanoma maligno avançado cujos tumores possuem a mutação V600 no BRAF. Dois ensaios clínicos fase III demonstraram que a combinação do dabrafenib com o trametinib e do vemurafenib com o cobimetinib prologaram significativamente a sobrevida global comparado com o uso de um inibidor do BRAF isolado. Estes achados apoiam a recomendação do uso da combinação de um inibidor do gene BRAF e do gene MEK mutados em vez do uso único de um destes agentes no tratamento inicial de pacientes cujos tumores possuem a mutação V600 no BRAF.