Escolha da quimioterapia adjuvante no câncer do pâncreas ressecado

A quimioterapia adjuvante é recomendado para todos os pacientes com câncer do pâncreas ressecado.O procedimento standard tem sido monoterapia com a gencitabina ou quando disponível,a monoterapia com o  S-1.O benefício da associação da gencitabina com a capecitabina foi testado no ensaio clínico ESPAC-4,com 730 pacientes portadores de câncer do pâncreas ressecado.Esses pacientes foram randomizados em dois grupos,um grupo fez uso da associação(gencitabina+capecitabina)e o outro grupo fez uso da gencitabina isolada.Em um relatório preliminar apresentado no ASCO 2016,o tratamento combinado foi associado com uma sobrevida média significativamente mais longa(28 versus 25,5 meses)e com duas vezes mais pacientes vivos à cinco anos(19 versus 9).Diarréia severa,síndrome pé-mão e neutropenia foram todas significativamente mais comuns na terapia combinada.Para a maioria dos pacientes fica a sugestão de seis meses de tratamento combinado em vez da monoterapia com a gencitabina após ressecção do câncer do pâncreas(quimioterapia adjuvante).Entretanto,a terapia com a gencitabina ou com o S-1 isolados permanece uma opção razoável particularmente nos pacientes com um estado geral borderline ou portadores de comorbidade que contraindique a terapia combinada.

2017-01-31T16:18:45+00:00

Deixar Um Comentário