A realização de dissecção linfonodal de todos os linfonodos envolvidos pela doença é considerado uma terapia standard nos pacientes com melanoma cutâneo e linfonodo sentinela positivo.Entretanto os resultados iniciais de um ensaio clínico randomizado comparando dissecção completa versus observação,falhou em demonstrar melhora da sobrevida livre de metástase à distância num acompanhamento médio de 34 meses.Espera-se um acompanhamento mais longo deste ensaio clínico e dos resultados do Multicenter Selective Lymphadenectomia antes de revisar a proposta atual de dissecção linfonodal completa em pacientes com melanoma cutâneo maligno e linfonodo sentinela positivo.