Associação de quimioterápicos antineoplásicos sem a adriamicina no tratamento adjuvante das paciente com câncer da mama HER2 positivo

A eficácia e segurança em combinar o trastuzumab com uma associação de quimioterápicos antineoplásicos sem antracíclicos foi avaliada no ensaio clínico BCIRG-006(Breast Cancer International Research Group 006)envolvendo mais de 3.200 pacientes com câncer da mama HER2 positivo e gânglio axilar positivo ou nas pacientes de alto risco e axila negativa.Um relatório preliminar após dez anos sugeriu que,comparado com doxorrubicina e ciclofosfamida seguido de docetaxel(ACT),tanto o ACT com o trastuzumab(ACTH)assim como também com a associação docetaxel,carboplatina com o tratuzumab(TCH)implicou numa melhora na sobrevida livre de doença(75% e 73%,respectivamente,versus 68% para o ACT).Uma tendência na melhora da sobrevida livre de doença e na sobrevida global foi observada na associação ACTH compara com a TCH,sendo que a associação ACTH esteve associada a toxicidade levemente mais elevada.Estes resultados apoiam a recomendação de que a associação TCH é uma alternativa terapêutica eficaz ao ACTH como terapia adjuvante no câncer da mama HER2 positivo.

2017-01-31T15:54:07+00:00

Deixar Um Comentário