A eribulina promove a inibição da formação de microtúbulos através de um mecanismo de ação que é distinto das outras drogas antineoplásicas anti microtúbulos como os taxanos(taxol,docetaxel).Resultados preliminares de um estudo multicêntrico,randomizado fase III que comparou a eribulina com a dacarbazina em 452 pacientes com leiomiossarcoma avançado ou sarcoma adipocítico previamente tratados com uma antraciclina(adriamicina,epirrubicina,etc),foram apresentado no ASCO 2015.A sobrevida global média foi significativamente melhor com a eribulina,porém o benefício ficou limitado a pacientes com lipossarcoma(sobrevida global média de 15,6 versus 8,4 meses).Baseado nesta informação,a eribulina foi aprovada nos Estados Unidos em janeiro de 2016 no tratamento do lipossarcoma metastático ou irressecável em pacientes já anteriormente tratados com associações com antracíclicos.